Produção À La Pomodoro: Diversão e Lazer juntos

Estou na fase de animação do curta e descobri da pior forma possível que animar cansado, estressado e sem planejamento é o mesmo que jogar o seu tempo fora, pois o resultado é horrível. Por isso, passei a procurar métodos para otimizar meu tempo e minha produção.

Pesquisando algum tempo, descobri o método Pomodoro, que tem ajudado muito a diminuir a minha ansiedade e a me tornar mais produtivo. A verdade é que ainda não parei para ler o método inteiro, e nem sempre uso a regra dos 25 minutos, mas já estou aplicando o principal que é se focar em uma tarefa por algum tempo e depois mudar para outra durante alguns minutos depois de algo relaxante. Fiz o desenho acima para ficar simples de entender como funciona.

Em resumo: Estou usando meus Pomodoros agora para estudar algumas peças de tango no piano, já que eu tenho a intenção de compor a trilha do curta junto com alguns músicos amigos meus. Estou tentando estudar agora o tango “Por Una Cabeza” que ficou famoso através da atuação monstra do Al Pacino no filme “Perfume de Mulher”, pois estou querendo compor algo na mesma linha. Uma palinha:

Por una Cabeza from Snot – A Diego Domene Short Film on Vimeo.

Assim que tiver alguma ideia mais bem amarrada de como será a trilha do curta, faço outro post aqui no blog.
Para quem se interessar, o site oficial do método Pomodoro em português: http://br.pomodorotechnique.com/

O manual completo da técnica (inglês): http://www.pomodorotechnique.com/resources/ThePomodoroTechnique_v1-3.pdf

Existem também alguns aplicativos que funcionam como timer (deve existir algum app para o seu celular também. Só procurar!):http://www.baixaki.com.br/busca.asp?q=pomodoro&go=

Planejando a animação

Agora que estou me dedicando a parte da animação do curta muitas pessoas me perguntam como é que isso é feito no computador. A impressão que eu tenho quando converso com essas pessoas é de que elas acham que existem botões prontos que fazem o personagem andar, conversar, pular, sorrir, etc.

A triste verdade é que animação é muito mais que talento. É paciência e muita dedicação, já que para cada segundo de filme precisamos “desenhar” em média 24 poses.

Em cinema chamamos essas poses de “frames” que não são nada mais do que imagens estáticas que são exibidas em sequência.

Já que a jornada é longa, montei um cronograma de planejamento para que eu possa saber quando fazer o computador trabalhar no render sozinho, enquanto eu estiver fazendo o trabalho braçal da animação.

Um print do meu crono para vocês entenderem como funciona o processo de produção nessa etapa:

Para enxergar tudo melhor clique aqui!

Caso você se interesse por saber como funciona cada etapa da produção de uma animação com mais detalhes, eu recomendo esse post do blog “de” Felipe Assis que explica tudo de um jeito bem maneiro!

Abraços!

Modelagem: Cenário








Aí vão os primeiros estudos de luz do cenário do curta. Na verdade, só fiz esse estudo para saber como ficou a modelagem da coisa toda, e se a ambientação está parecida com a que estava imaginando na fase dos concepts.

Vale lembrar que ainda que essa iluminação é somente uma base para algo mais complexo que vai exigir algum tempo de estudo mais para frente. Algumas coisas da modelagem já mudaram também depois desses estudos iniciais.

Quando estiver cansado de animar, volto a mexer nas texturas e luzes do cenário e personagens. Posto aqui quando tiver algo melhor para mostrar!

Abraços!!

Rig: Penn

Snot – Penn’s Rig from Snot – A Diego Domene Short Film on Vimeo.

Fala galera,
Esse é o rig final do Penn. Tive muito trabalho com ele nessa etapa, pois nunca tinha rigado nenhum outro modelo e cometi muitos erros de principiante.

Se eu não me engano, tive que refazer o Setup dele todo pelo menos umas 3 vezes!

Pelo menos eu curti o resultado.

Conforme for animando, talvez tenha que parar e voltar para as expressões faciais, que é o grande lance do curta.

Até o próximo post! ;-)

Rig: Dustine

Snot – Dustine’s Rig from Snot – A Diego Domene Short Film on Vimeo.

Esse é o Rig final da Dustine!
Como ela é um personagem secundário, não perdi tanto tempo como eu fiz com os outros dois personagens nessa etapa.
É capaz que tenha que modelar algumas outras expressões ao decorrer da animação. De qualquer forma, acho que o produto final não vai ficar muito longe disso.

P.S: Assim que eu conseguir, coloco os vídeos do Rig em uma resolução melhor.

Rig: Snott

Snot – Snott’s Rig from Domene on Vimeo.

Depois de quebrar muito a cabeça e aprender um monte sobre Rig e Springs, aí vai o resultado final do Rig do Snott. Não vejo a hora de começar a animar ele!

Fiz uma Synoptics, que para quem não sabe é uma barra de comandos rápidos como bater o keyframe para todos os controladores, visualizar determinadas partes da geometria ou dos controladores, etc. Apesar de ter gasto um bom tempo fazendo ela, acho que vou ganhar muito tempo depois na animação. Tentei upar o arquivo de photoshop dela para compartilhar com vocês, mas quem quiser usar como modelo é só me mandar um e-mail que eu mando: dadomene@gmail.com
Abraços e até o próximo post!

Desistir ou não? Algumas palavras sobre motivação e workflow

Bem-vindos ao primeiro post deprê do blog!

Como vocês já devem saber, realizar um projeto de curta-metragem de animação é complexo e exige muito trabalho, ainda mais se você estiver enfrentando a jornada solo.
Se você é um cara ferrado de grana como eu, trabalha, estuda e mora sozinho com um cachorro idoso, talvez também enfrente o problema do curtíssimo dia de 24h!
Na verdade, às vezes é tão difícil que muitos alunos pensam em desistir, ou até abandonam o projeto antes da finalização.
Eu mesmo pensei em desistir várias vezes, mas a vontade de ver a coisa toda finalizada continua sendo sempre muito maior.
Algumas coisas me ajudam bastante a seguir:

  • Apoio dos amigos, namorada e família.
  • Vontade de ver o projeto pronto
  • Imaginar as mudanças que poderão acontecer quando tudo estiver finalizado
  • Saber que está “tudo bem” em não saber isso ou aquilo, pois aprendizado é uma constante na vida de quem quer trabalhar com cinema e animação.
  • Se superar cada vez mais em cada etapa
  • Ser organizado
  • Ter uma rede para deitar quando nada está dando certo
  • Jack Daniel’s

Ser organizado realmente facilita bastante as coisas. Aqui em casa tenho uma cama de solteiro que vira uma lousa e me ajuda bastante a organizar as coisas do dia-a-dia.

Descrição completa do Sherrif’s Office daqui de casa:

  1. Coisas a fazer durante a semana
  2. Check-list da produção do curta
  3. Coisas que eu sempre esqueço ou tenho dificuldades nos softwares
  4. 2 Monitores (Isso acelera a produção que é uma beleza)
  5. Tablet (Presente da mamãe)
  6. Elvis – The Cactus
  7. Vai Corintha!
  8. Sr. Pepino (O guardião do lápis da mulher borracha)
  9. Ninguém é de ferro
  10. Sketch-book (presente da namorada)
  11. Inspiração (presente da namorada também)
  12. Lápis, muito lápis
  13. Bagunça da namorada
  14. Conhecimento (presentes de várias pessoas)
  15. Gaveteiro dos sonhos (Onde ficam todos os materiais de desenho, pintura e escultura – Presente do irmão).

Espero que com esse post sirva de UP para aqueles que estão na mesma que eu!

Abraços!

Concept: Snott

Sem muitas delongas, trago a vocês a nossa simpática catota de nariz. Simplesmente dei o nome dela de “catota” em inglês, e acrescentei um “t” a mais para fazer uma graça.

Para elaborar o concept, eu usei as seguintes referências:

Queria muito que a catota surgisse na cena do mesmo modo que o gênio surge da lâmpada mágica. Além disso queria deixar ele com o maxilar da frente bem pronunciado, como o Klungo do game Banjo-Kazooie. Pensei que talvez deixando o personagem com cara de buldogue, tudo ficaria mais engraçado. É claro que a referência do Geléia dos Caça Fantasmas também não poderia deixar de existir.

Esse personagem foi o que me deu mais trabalho. Fiz muitos desenhos até achar o que eu queria. Até com cara de peixe eu tentei.
Só fiquei satisfeito quando consegui juntar todas as referências e ainda consegui deixar bem parecido com o Penn que é o personagem principal. Abaixo alguns rascunhos:

Com o Snott também consegui fazer um estudo de modelagem tradicional. Como foi minha primeira escultura, fiquei bem satisfeito. Não vejo a hora de começar outras: